O protesto do protesto

O protesto do protesto: sobre uma questão muito importante! A Gucci trouxe um assunto muito importante para as passarelas da Milan Fashion Week nessa semana: a saúde mental.

Como sempre, a moda mostra mais uma vez que segue o Zeitgeist ou espírito do tempo. Segue trecho do artigo do Paulo Fernando Silvestre Jr. que está no LinkedIn.

“No mundo, mais de 1 milhão de pessoas se suicidam todos os anos. Isso dá uma morte a cada 40 segundos. No Brasil, 32 pessoas se matam todos os dias: em 2018, foram 11 mil vidas perdidas assim. A situação é ainda mais grave entre os jovens, sendo a principal causa de morte nessa faixa etária no planeta, de acordo com a Organização Mundial de Saúde. Segundo o Ministério da Saúde, o suicídio aumentou 20% nos últimos cinco anos entre jovens de 15 a 19 anos. Já é a quarta causa de mortes nessa faixa no nosso país.” Mas nesse caso a modelo Ayesha Tan Jones, que já sofreu problemas, entrou na passarela mostrando as palmas das mãos em sinal de protesto: “A saúde mental não é moda”, se manifestando contra o uso da camisa de força no tratamento da saúde mental. A Gucci se posicionou que essas peças não serão vendidas, mas quis chamar a atenção para o problema. “

Veja tambem um outro post sobre um desfile de moda importante aqui.